sábado, 9 de julho de 2011

"ES. comeu M., logo, J. era corno"

Por Noreda Somu Tossan

Atenção! Para preservar a integridade das pessoas citadas neste artigo, optei por usar apenas as iniciais de seus nomes, salvaguardando assim, suas respectivas identidades e, por conseguinte, suas reputações.

M. era uma bela jovem, porém, deveras assanhada. Estava de casamento marcado com um rapaz , já bem mais velho que ela. O Rapaz era muito trabalhador, desde muito pequeno aprendera a trabalhar com as mãos e já tinha uma clientela fixa em sua oficina.

Passara os últimos meses economizando o quanto podia para comprar os móveis para a sua modesta casinha. J. era seu nome , bem aparentado, corpo esbelto e cultivava uma bela barba preta que lhe conferia pelo menos cinco anos a mais do que realmente tinha. J. sempre respeitou M., e nunca a tocara mais intimamente, embora ela sempre o provocasse, insinuando-se, e tocando-lhe em partes erógenas do corpo.

M., como já disse, era muito assanhada, já tinha 15 anos e seus hormônios já a faziam passar calores . Usava roupas que chamavam atenção dos rapazes de seu bairro. Já era de se esperar que o pior acontecesse .

Numa noite cálida M. foi deitar-se, com uma camisola transparente, seios protuberantes escapavam de vez em quando de dentro de suas vestes. Era uma cena irresistível ver aquela bela mulher contorcer-se na cama à medida em que o lençol que lhe cobria as curvas caia ao chão , expondo seu sexo. A propósito...a janela estava aberta, e alguns que passavam, vindos das baladas noturnas, não deixavam de dar uma espinhadinha na moça gostosa. ES. Já estava a dois dias na gandaia, recém liberto da escravidão de seu “patrão”, ele só pensava agora em diverti-se. Quando passou em frente a janela , não se conteve ,parou , ficou um bom tempo admirando aquela ninfeta sex, e fez o impensável:

Num momento de extrema excitação, pulou a janela e pôs-se ao lado da cama de M., tirou suas calças e expôs seu membro rijo. Só masturbar-se não estava resolvendo, precisava ir além. Deitou-se ao lado de M.e, suavemente arremeteu para dentro da moça. M. soltou um gemido de satisfação e à medida que ele entrava e saia de sua gruta, M. delirava de prazer.

M. acorda de seus “sonhos” eróticos e quando finalmente seu cérebro consegue organizar seu senso espacial, ela se da conta de que tem um homem em cima de si. A primeira reação de M. foi de repelir aquele varão, mas algo em sua mente a dizia que ficasse tranqüila, que tudo aquilo que lhe estava acontecendo não era uma obra do acaso. Na verdade a voz que ela ouvia era de ES., que sussurrava em seu ouvido coisas do tipo:

“relaxe criança, você foi escolhida entre tantas para ter uma noite de prazer como nunca mais terá”, ou, “este membro que recebes agora, mudará tua vida, pois és bendita entre todas as outras com quem já me deitei... achastes graças aos meus olhos”. Ela relaxou então, e foi recíproca às caricias de ES.

Quarenta dias se passaram e M. se viu desesperada ao ver que sua menstruação não vinha. Como darei a noticia a J? Ele vai me matar! Meu Deus... Por quê?

Quando J. Recebeu a noticia de que sua noiva (que nunca havia tocado) estava grávida, desesperou-se, perdeu o chão, e num ato de desespero tentou fugir da sua cidade. Mas o pai de M. mandou alguns de seus capangas para interceptá-lo. Deram-lhe uma surra e o trouxeram de volta. Ele contou tudo à seu sogro, que ficou perplexo e também arrependido por tê-lo julgado um cafajeste. Ao final, para colocar panos quentes em toda esta desgraça, inventaram uma historia tão , mas tão absurda, que, por incrível que pareça, até hoje se acredita nela.

FIM

5 comentários:

  1. Pouca vezes li tanta bobagem. Só fui até o final por uma curiosidade mórbida.

    alex

    ResponderExcluir
  2. Então você caíu como um pato Alex! rss
    Às vezes escrevo mesmo bobagem, e acredite, este texto foi feito a partir de uma brincadeira com os amigos. Não acredito que tenha de desenrolado assim a história que nós dois conhecemos, mas, como disse, é só mais uma estória como tantas outras que também são bobagens...a minha pelo menos é mais apimentada.

    ABRAÇOS ALEX!

    ResponderExcluir
  3. Guiomar, quem foi que disse que eu não posso provar que o Espírito Santo não existe? Tanto é certo que ele não existe, que até hoje nada me aconteceu por "blasfemar" contra ele, pelo contrário, minha vida nunca esteve tão boa.

    Pô Guiomar, para de implicar comigo por escrever meus textos inofensivos. Eu não fico criticanto (mentira fico sim) quando escrevem suas fábulas.

    Ou você é daquelas que acredita que uma história bem contada, por mais absurda que seja, pode levar milhões de pessoas a acreditar no inacreditável?

    Beijos minha crentinha linda!

    ResponderExcluir
  4. Porquanto não se executa logo o juízo sobre a má obra, por isso o coração dos filhos dos homens está inteiramente disposto para fazer o mal.
    Eclesiastes 8:11

    Amo a longanimidade de Deus.

    Abaço.

    ResponderExcluir
  5. calo boca dele entao?

    ResponderExcluir